Oi ;)

Quem acompanha as postagens culinárias do blog, já percebeu o quanto sou apaixonada por doces! Adoro ler sobre confeitaria, assistir programas e testar receitas.

Como tento mostrar livros pelo menos a cada 2 semanas por aqui, achei que poderia ser legal compartilhar com vocês minha mini coleção de livros de confeitaria.

Livros de Confeitaria são inspiradores para mim, desde o conteúdo escrito, até as maravilhosas fotografias…

Tenho apenas 4, todos eles trazem receitas, dicas e imagens:

image 1) Feito em Casa:

Esse livro tem receitas de um chef pâtissier que selecionou diversos bolos, tortas, muffins e cheesecakes que ele gosta de cozinhar para receber a família e os amigos.

A proposta é essa…. cozinhar para inspirar.

As receitas não são tão específicas para o paladar brasileiro, pois há muitos bolos com buttercream, frutas, caldas menos doces… Mas é uma opção legal para quem quer conhecer um pouco mais sobre confeitaria e também aprender a fazer massas de torta e cupcakes. Quanto aos recheios e coberturas, eu costumo adaptar aos que gosto.

imageAs imagens são lindas….

image

2) Bolos Deliciosos

É o livro visualmente mais bonito. Pra quem gosta de decorar a mesa, as fotos desse livro são cheias de detalhes que inspiram muitas ideias!

Esse livro foi escrito por Lynn Hill, que é a fundadora do Clandestine Cake Club de Londres. Reúne receitas de bolos clássicos, vitorianos, modernos e de vários cantos do mundo.

image

image3) A Arte de Fazer Cupcakes

Esse livro reúne receitas de massa, recheios e coberturas para diferentes tipos de cupcakes. Também fala um pouco sobre como decorá-los.

Amo fazer (e comer hahaha) cupcakes e esse livro é muito legal para quem tem essa mesma paixão!

image

image

4) Chocolate

São 30 receitas de bolos, cupcakes, cookies, tortas e biscoitos com uma característica em comum: Todos têm chocolate como ingrediente.

As receitas são bem legais e bem aceitas pelo paladar brasileiro, que é muito acostumado ao sabor do chocolate, né?

image

 

image291-e1438112864420-768x1024 Coraçãozinho para Post 2

Se alguém gostar de um deles, ainda estão nas livrarias :)

Espero que gostem desse post… Tento não mostrar apenas coisas ligadas à beleza/maquiagem aqui no Blog, porque ele tem várias categorias e gosto de falar sobre todos esses assuntos (Beleza, Make, Cosméticos, Cabelos, Unhas, Filmes, Receitas, Livros, Decoração etc etc)

Se quiserem sugerir temas que gostariam de ver por aqui, ficarei feliz.

Bjs

Izabella

 

 

 



Sempre que penso em escrever uma resenha de livro me sinto dividida entre contar demais (e acabar dando spoiler), e entre contar menos do que deveria (e parecer uma resenha superficial), aí percebo que acabo achando melhor falar sobre a sinopse de um jeito mais detalhado do que aquele textinho que encontramos nos sites das livrarias, e finalizar com a minha opinião sobre a leitura…

O livro de hoje é especial para mim, ganhei no 3º colegial do professor de História da escola, ele era (e ainda é) um senhor muito inteligente, que viveu a época da repressão no Brasil e que tem por costume presentear os melhores alunos com um livro ao final do último ano do Ensino Médio. Eu, que sempre fui nerd de carteirinha na escola, ganhei Feliz Ano Velho. Lembro que li em uns 2 ou 3 dias e fiquei fascinada. Então, vamos à resenha!

Livro Feliz Ano Velho

Resenha:

Feliz Ano Velho foi lançado em 1982 e foi escrito por Marcelo Rubens Paiva, filho do ex-deputado federal Rubens Paiva, que sumiu durante a Ditadura Militar. O livro conta a história de vida do autor, que em 1979, aos 20 anos de idade, viu sua vida mudar radicalmente após mergulhar de cabeça em uma lagoa, poucos dias antes do Natal. Mergulhou, bateu a cabeça, ouviu um zunido e desde então, ficou tetraplégico. Essa sequência de fatos, contados logo no início do livro, despertam no então jovem Marcelo, um autor capaz de contar uma história profunda e rica em detalhes.

Obviamente é um fato triste, mas o livro não é narrado sob uma ótica de pena. Marcelo era um garoto de 20 anos, de uma família de classe média alta, que costumava viver a vida aproveitando os exageros da juventude: namorando muito, saindo, cercando-se de amigos e sempre à procura de diversão.

Após o acidente, ele é socorrido pelos amigos (talvez o resgate desajeitado tenha agravado um pouco o quadro), levado ao hospital e a princípio não entende a gravidade de seu problema. Com o passar do tempo, e após muitos diagnósticos meio confusos e incertos sobre sua recuperação, o tédio o domina completamente. A narrativa é cheia de reclamações extremamente realistas, com muitas gírias, alguns palavrões, etc. Quem está lendo começa a se sentir dentro do quarto de hospital com Marcelo, como se estivesse assistindo ao vivo por tudo o que ele passa.

O livro mescla histórias do passado, cheias de exageros, experiências, sexo, baladas e até mesmo algumas referências ao uso de maconha.

É uma história muito pessoal, que consegue mostrar o drama desesperador que Marcelo vive, mas também consegue fazer rir com as lembranças do passado que ele descreve. A cada nova visita que ele recebe no hospital, mais memórias vem à tona e todas contadas de uma maneira que funde passado e presente, e ás vezes o leitor pode se confundir com a linearidade dos fatos.

Feliz Ano Velho conta sobre um período de 1 ano da vida do autor, a partir do acidente. Marcelo, vezes cheio de revolta, outras cheio de dúvida, outras desejando morrer, tem o desafio de enxergar a vida a partir de sua nova condição.

Na minha opinião, é um livro intenso, emotivo, pesado em alguns momentos, mas, extremamente verdadeiro e realista. Acho que em várias situações que mudam a vida completamente, todos nós nos vemos diante da necessidade de encontrar formas de desafiar os problemas e passar a enfrentar a vida apesar dos acontecimentos, acredito que todas as pessoas passam por situações onde precisam reaprender a ver o lado bom da vida e descobrir forças para simplesmente seguir em frente, acho que esse é o ponto da virada, quando as pessoas aprendem a continuar, independente do que lhes aconteceu.

O acidente desafia Marcelo a reaprender a encontrar sentido na vida.

Foi um dos melhores livros que já li.

Bjs,

Izabella



Olá, tudo bem com você?

Sou viciada em leitura porque realmente acredito que quando um livro tem uma história cativante, a gente acaba “viajando” através dele e, de repente, se vê apegada (o) aos personagens daquela trama como se eles fossem parte da nossa realidade (ou como se nós fôssemos parte da realidade deles rs).

Sou fascinada por vampiros e gosto bastante de livros sobre o tema, já li desde os clássicos da Anne Rice, até os mais românticos/melosos como os da saga Crepúsculo.

Mas dentre todos que li, alguns dos mais especiais foram, sem dúvida nenhuma, os do escritor brasileiro André Vianco. Esse autor escreve ficção de uma forma que prende o leitor, entretém  e encanta.

Hoje vou resenhar, prometo tomar cuidado para não dar spoilers importantes, o livro mais famoso dele: Os Sete.

Os Sete é o primeiro livro de uma saga que contém outros 4, que são eles na ordem: ‘Sétimo’, ‘O Turno da Noite – Os Filhos de Sétimo Vol.1′, ‘O Turno da Noite – Revelações Vol. 2′ e ‘O Turno da Noite – O Livro de Jó Vol.3′.

LivroOsSete AndréVianco

A História:

A história começa na cidade fictícia de Amarração no Rio Grande do Sul. Em um mergulho, alguns amigos encontram uma caravela portuguesa naufragada no fundo do mar, e dentro dela há uma grande caixa de prata. Eles ficam curiosos com aquela descoberta e por acharem que ela pode guardar tesouros, decidem pedir ajuda de uma amiga que trabalha no departamento de História da Universidade Federal de Porto Alegre.

A Universidade se interessa pelo incrível achado e mobiliza uma grande equipe para trazer a descoberta à superfície.

A partir daí começa a trama… A grande caixa de prata, que tem inscrições gravadas, esconde em seu interior 7 corpos em estado de decomposição que, pelas características da caravela e de suas roupas, demonstram ser oriundos de séculos atrás. Isso intriga os pesquisadores da Universidade porque, apesar de não estarem perfeitos, os corpos não estão desfeitos como corpos normais estariam.

Durante os estudos, os corpos começam a retornar à vida…

Os 7 corpos pertencem a vampiros portugueses (da região do Rio D’ouro) acusados de bruxaria, há 5 séculos atrás… Eles foram presos na caixa de prata e lançados ao mar.

Cada vampiro tem um poder especial, os nomes deles e seus respectivos poderes:

  • Inverno: O meu vampiro preferido entre todos eles! É o primeiro vampiro a acordar… Ele é arrogante, prepotente, convencido e também engraçado. Me lembra um pouco a personalidade do Damon Salvatore (The Vampire Diaries). Inverno tem o poder de fazer o clima esfriar muito e até nevar.
  • Gentil: É o mais “bondoso” e só se alimenta de sangue humano quando realmente sente fome. Tem o poder de fazer o tempo parar (uma vez a cada ciclo lunar).
  • Lobo: Tem a habilidade de se transformar em lobo.
  • Tempestade: É um dos mais engraçados. Seu poder é iniciar grandes tempestades.
  • Espelho: Tem o poder de assumir outras aparências.
  • Acordador: Tem o poder de acordar os mortos com sua voz, por isso sempre fala baixo.
  • Sétimo: É o pior de todos! O último a despertar… Há séculos atrás foi “oferecido” como escravo pelos outros vampiros ao inferno (credo!)durante 150 anos e em troca, eles ganharam os poderes que têm. Sétimo é muito poderoso e pode andar a luz do dia.

No decorrer da história, os vampiros começam a despertar e uma verdadeira guerra que envolve até o Exército brasileiro é iniciada.

Os conflitos são narrados com muitos detalhes. São cenas cheias de ação, capazes de prender sua atenção e te fazer querer descobrir o final ansiosamente.

Há momentos engraçados e curiosos, afinal, os vampiros ficaram adormecidos por 500 anos e acordaram em uma terra que não é a deles e em um mundo totalmente novo, cheio de tecnologias que eles desconhecem completamente.

O livro tem romance, mas não é esse o foco, a ação, os mistérios e o suspense ocupam a maior parte da história. Os detalhes históricos e as descrições sobre a região do D’ouro (Portugal) são muito interessantes.

Diferente da maioria dos livros de ficção, essa história se passa no Brasil, então fica mais fácil imaginar os cenários, entender as referências e até mesmo, vivenciar um pouco do que é contado.

Se você gosta de vampiros, vale a pena conhecer esse livro.

Espero que tenham gostado da resenha.

Bjs, até o próximo post

Izabella



Olá, tudo bem? ;)

Vou compartilhar com vocês 2 livros que estão na minha lista de próximas leituras. Não sei se bons, mas por alguma razão os comprei rs, então agora vou espantar a preguiça e colocar a leitura em dia.

Quando vou a um shopping só sinto que o passeio está completo quando visito alguma livraria, pode até ser que eu não vá comprar nada, mas preciso olhar os livros.

No início de Abril, passeando pelo shopping Bourbon, entrei na Cultura para olhar as novidades e depois de andar bastante lá dentro (a livraria Cultura desse shopping é bem completa), acabei me deparando com o livro Cem Verões em uma prateleira. A capa me chamou atenção. Sim, eu sei que não se deve julgar um livro pela capa, mas é impossível ignorar uma capa que nos transmita algo, não é mesmo?

A capa desse livro é uma ilustração com estilo vintage de 2 garotas na praia, os trajes são totalmente anos 30/40 e eu, que adoro histórias antigas, peguei o livro para olhar imediatamente.

 

Livro Cem Verões

O livro conta a história de duas melhores amigas: Lily Dane e Budgie Byrne. A história começa em 1931 quando elas estão em um luxuoso carro indo para uma partida de futebol, onde Budgie encontrará seu namorado Graham (jogador do time). O cenário é o verão nova-iorquino e as meninas e seus outros amigos, todos ricos, estão aproveitando o calor em Seaview, Rhode Island. Então, Lily conhece Nick, alguém com quem ela não deveria se envolver. A partir de então, as coisas começam a mudar. Budgie e Lily se reencontram 7 anos depois do fatídico verão em que a amizade delas terminou bruscamente. O livro fala de amizade, segredos, tradições familiares, etc.

Me pareceu um Gossip Girl da década de 30 e confesso que isso me interessou. Ainda não li o livro e então não sei se o resumo é fiel à história.

Próximo livro….

O segundo livro tenho há mais tempo, comprei em 2013. Estava passeando em uma livraria Nobel e esse livro estava em destaque. O título, “A Vidente”, chamou minha atenção. A capa, com uma foto que remete a 1700/1800 e com uma fita azul linda fechando o livro, também me atraiu. Era possível notar de cara qual o assunto do livro: romance.

image

O resumo diz que o livro conta a história de uma jovem vidente chamada Chloe Wherlocke, na Inglaterra de 1785, parte de uma família em que todos nascem com um dom sobrenatural. A trama começa quando ela prevê a morte de uma mulher que havia acabado de ter um bebê e também prevê uma trama para atender interesses escusos. Ao encontrar a criança abandonada ao lado do corpo, ela salva o bebê e o cria escondido. Com o passar do tempo, Chloe percebe que o encontro com a criança não foi por acaso e descobre coisas que envolvem todos os membros de sua família. Vê-se, então, em um jogo de traições, mentiras e assassinatos. Ela precisa ser rápida para salvar a vida do conde Julian Kenwood, o pai do bebê que ela salvou da morte, e avisá-lo que seu filho está vivo. Ao se aproximar dos Kenwood, a vidente percebe que seu sentimento por Julian cresce, assim como os riscos que ela corre.

Assim como o primeiro livro, também não sei se o resumo faz jus à obra. Vou ler e depois conto :)

Livro Cem Verões e

E vocês, também costumam comprar livros e deixá-los parados rs?

Até o próximo post! Bjs

Izabella